O Anúncio Positivo da Fala à Imprensa do PR e o Recuo Subjacente


 O Anúncio Positivo da Fala à Imprensa do PR e o Recuo Subjacente

Por: João Ricardo (Analista do Portal “A DENÚNCIA”)

Se, por um lado, é de saudar o anúncio, feito pelos Serviços de Apoio ao Presidente da República na página do PR na rede social facebook, segundo o qual o Presidente da República João Manuel Gonçalves Lourenço falará, na próxima quinta-feira, 06/01/2022, às 10 horas, em entrevista colectiva, a repórteres de cinco órgãos de informação, pois representa o salutar retorno a uma conduta ensaiada pelo próprio PR no dealbar do seu mandato, que, entretanto, na segunda metade do mesmo mandato saiu da agenda presidencial, sobretudo no seu formato mais alargado (entrevista colectiva) – que seja um retorno para ficar, com a regularidade que se venha a definir, no eventual seu segundo mandato! -, por outro, ficamos totalmente incrédulos e apreensivos quanto aos critérios de escolha dos órgãos e com as notícias que complementam o citado anúncio, basta ler os distintos portais de notícias e redes sociais, onde é dito que o Secretário do Presidente da República para os Assuntos de Comunicação Institucional e Imprensa, Luís Fernando, terá solicitado aos jornalistas dos cinco (5) órgãos de comunicação social escolhidos, desta vez, que enviassem, com a antecedência de um dia, as duas (2) perguntas que tencionam fazer ao Presidente da República. A ser verdade, trata-se de um gesto de difícil qualificação, dada a infelicidade e recuo subjacentes.

Deviam deixar que os jornalistas questionassem de forma livre e espontânea as inquietações, mesmo as incómodas, caso sejam, porquanto o PR já mostrou que é suficientemente inteligente e maduro para dar a volta a qualquer questão que o possa embaraçar. João Lourenço já provou publicamente que é experimentado nisso. Não precisa destes serviços desnecessários de condicionamento ao trabalho dos jornalistas.

Claramente, esta iniciativa só pode ter emanado do pessoal dos serviços de apoio, que insiste, faz tempo, nesses jogos de «esconde – esconde» e não percebe os danos políticos que resultam dessas práticas à imagem interna e externa do PR, já de si desgastada, dando cada vez mais armas de arremesso à oposição. 

E mais: as questões eventualmente incómodas são conhecidas por todos nós, pelo que, basta um encontro prévio de cerca de 30 minutos com o PR para afinar as agulhas e a estratégia de respostas. Nada mais do que isso.

Aliás, ainda se devem lembrar do badalado encontro com a juventude? Não obstante a imprevisibilidade das perguntas/indagações, foi consensual que o PR esteve no mais alto nível, contando com subsídios, através de “bilhetinhos” de seus Auxiliares, numa ou outra questão que meresse um esclarecimento mais plausível. 

Para quê, agora, o recuo para uma prática da velha escola, que aprendemos com a Mãe URSS (hoje Rússia), e estamos decididamente apostados em superar a Coreia do Norte no que ao exercício jornalístico diz respeito?

Tags: Opinião 

Carlos Alberto

http://adenuncia.ao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Não é possível copiar o conteúdo desta página
ENVIAR MESSAGEM
Estamos online
Ola podemos te ajudar??