SIC APRESENTA CIDADÃOS DETIDOS POR FALSIDADE E BURLA INFORMÁTICA AGRAVADA

SIC APRESENTA CIDADÃOS DETIDOS POR FALSIDADE E BURLA INFORMÁTICA AGRAVADA

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) apresentou ao público cinco cidadãos, na manhã desta quarta-feira, 2, por crimes de Branqueamento de Capitais, Burla Informática Agravada, Falsificação de Documentos, Falsidade Informática e Acesso Ilegítimo, que permitiram fazer circular, por contas bancárias, mais de dois bilhões de Kwanzas.

De acordo com o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do SIC-Geral, Superintendente de Investigação Criminal Manuel Halaiwa, os visados foram detidos por meio de investigações protagonizadas pelas Direcções de Combate a Crimes Informáticos e Central de Operações.

“A cidadã envolvida neste acto ilícito foi detida no dia 29 de Janeiro deste ano, após falsificar Bilhete de Identidade de uma outra cidadã, de quem “pretendiam ter acesso de forma fraudulenta a segunda via do número telefónico, tendo sido detida com a colaboração da operadora Unitel. No seguimento dos factos, o SIC deteve em flagrante nessa segunda-feira, 31 de Janeiro de 2022, no Distrito Urbano da Samba, os quatro elementos, no interior de uma habitação, que funcionava numa espécie de Quartel General, onde os indivíduos foram encontrados com vários chip, telemóveis, cartões multibanco, Bilhetes de Identidade falsos e um dispositivo de clonagem de cartões”, relatou o responsável.

Manuel Halaiwa avançou também que todos eles estão envolvidos numa rede criminosa organizada que se dedicava à criação de perfis falsos no Facebook e Instagram, de pessoas singulares e colectivas, sobretudo, de governantes, empresários, Instituições Públicas e Privadas, sendo um em nome do ministro da Agricultura e Pescas, António de Assis e do Ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, bem como à criação de websites falsos da empresa EMIS, com uma falsa aplicação Multicaixa Express, por meio da qual realizavam diversas burlas.

O SIC informou ainda que os cinco cidadãos são provenientes da Província de Cabinda e esstão igualmente envolvidos na criação de contas falsas no Facebook  em nome do empresário António Sassova Laurindo, bem como na do Instagram em nome do então Director-Executivo da TAAG, Rui Carreira, com o objectivo de burlar as pessoas, chegando mesmo a conseguir com este acto vários bilhões de Kwanzas.

Carlos Alberto

http://adenuncia.ao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Não é possível copiar o conteúdo desta página
ENVIAR MESSAGEM
Estamos online
Ola podemos te ajudar??