Tribunal viola sua própria “Nota Informativa” para impedir cobertura jornalística do caso Carlos São Vicente


Tribunal viola sua própria “Nota Informativa” para impedir cobertura jornalística do caso Carlos São Vicente


O Tribunal Provincial de Luanda violou nesta sexta-feira , 11 de Fevereiro, a sua própria Nota Informativa, afixada na porta da sala onde decorre o julgamento do empresário Carlos São Vicente, impedindo jornalistas de assistirem à audiência. 

O Portal “A DENÚNCIA” sabe que, entre outras individualidades, a nota diz que é permitido entrar um jornalista de cada órgão na sala de julgamento, para assistir à audiência do processo 827/21-B, que envolve o genro do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

Ao contrário do que diz a nota, o julgamento, que começou na manhã desta sexta-feira, 11, decorre à porta fechada.

O empresário luso-angolano é acusado dos crimes de Peculato, Participação Económica, Tráfico de Influência, Branqueamento de Capitais e Fraude Fiscal, que terão permitido extrair da Sonangol, à margem da lei, cerca de 900 milhões de dólares americanos. 

Carlos São Vicente, preso desde Setembro de 2020, é acusado de ter levado acabo um esquema de apropriação ilegal de participações sociais das AAA  e de rendimentos e lucros produzidos pelo sistema de seguros e resseguros, no Sector Petrolífero angolano, no período entre 2000 e 2016.

As autoridades judiciais ordenaram a apreensão de bens e contas bancárias pertencentes ao empresário, tendo a Procuradoria-Geral da República (PGR), pedido igualmente o congelamento de contas bancárias.

Carlos Alberto

http://adenuncia.ao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Não é possível copiar o conteúdo desta página
ENVIAR MESSAGEM
Estamos online
Ola podemos te ajudar??