CANDIDATOS ADMITIDOS NO CONCURSO DO GPL 2021 SEM ENQUADRAMENTO

 CANDIDATOS ADMITIDOS NO CONCURSO DO GPL 2021 SEM ENQUADRAMENTO

CANDIDATOS ADMITIDOS NO CONCURSO DO GPL 2021 SEM ENQUADRAMENTO

Passados mais de quatro meses, todos os candidatos admitidos no Concurso Público de Ingresso 2021 – do Governo da Província de Luanda – encontram-se, até ao momento, fora da Função Pública.

Os mais de dois mil cidadãos estiveram, na passada quarta-feira, defronte ao Governo da Província de Luanda para pedir esclarecimento sobre a demora da admissão.

“O GPL alega que já recebeu o relatório do Tribunal de Contas e que os candidatos ainda não começaram a trabalhar porque a Comissão de júri do Concurso – nomeada pela Governadora da Província de Luanda, Ana Paula de Carvalho – ainda não se reuniu”, lê-se na denúncia que recebemos.

O Portal “A DENÚNCIA” contactou a governadora da Província de Luanda para esclarecer o assunto, mas até então Ana Paula de carvalho não se pronunciou.

Os candidatos que fizeram reclamações também estão à espera das listas definitivas, para saber se as queixas foram atendidas ou não.

Recorde-se que o Portal “A DENÚNCIA” já vem alertando sobre as irregularidades que se têm registado neste Concurso Público de Ingresso 2021, desde o seu início. No dia doze de Janeiro deste ano, noticiámos que o Concurso Público para Viana registava “novos” velhos funcionários. Esta informação alertava uma violação à lei da Probidade Pública; de se ter cometido o crime de Tráfico de Influência; de se ter violado o requisito de idade máxima de 35 anos para ingresso na Função Pública; de se ter violado o dever de Funcionário Público plasmado no Decreto 33/91, sobre o Regime Disciplinar Aplicável aos Funcionários Públicos pelo facto de alguns “novos ingressos” estarem já a trabalhar na Administração Minicipal de Viana, em Comissão de serviço (funcionários do Estado), de acordo com resultados das investigações do Portal “A Denúncia” que também tinha apurado que A Comissão de Júri do mesmo concurso, nomeada pela governadora da Província de Luanda, Ana Paula de Carvalho, presidida pelo director dos Recursos Humanos do Governo da Província de Luanda Moisés David Milagre Loké, tinha admitido, com indícios que mostram violação à lei, 10 funcionários, nomeadamente pessoas próximas do, na altura, administrador municipal de Viana Manuel Marques de Almeida Pimentel, que enviou candidatos que pudessem não ter requisitos para ingressar na Função Pública.

E no mês de Fevereiro, numa carta-denúncia enviada à Redacção do Portal “A DENÚNCIA”, trabalhadores da Administração do Município do Icolo e Bengo pediam a anulação do Concurso Público de Ingresso 2021, organizado com a superintendência do Governo da Província de Luanda, cujos candidatos tinham sido escolhidos pela administradora Humberta Paixão.
Eles acusaram a administradora do Icolo e Bengo, Humberta Paixão, de estar a favorecer seus familiares e conhecidos, mesmo não tendo reunido condições para a admissão de pessoas próximas, em prejuízo de candidatos apurados.
Os trabalhadores afirmaram ainda que Humberta Paixão chegou a alterou a lista de candidatos admitidos, enviada à Administração do Icolo e Bengo pelo Governo da Província de Luanda, para favorecer pessoas próximas a si – cujos nomes o PAD tinha mencionado na notícia – que até têm mais de 35 anos de idade, violando assim o despacho n.º 382/GAB.GPL/2021 de 12 de Julho, exarado pela Governadora da Província de Luanda, Ana Paula de Carvalho.

Mesmo com esses alaridos todos, o GPL, MAT e a IGAE não se querem pronunciar. Mas o PAD está a acompanhar milimetricamente o desenrolar deste assunto e a obter dados sobre o motivo do silêncio das autoridades angolanas.

Carlos Alberto

http://adenuncia.ao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Não é possível copiar o conteúdo desta página
ENVIAR MESSAGEM
Estamos online
Ola podemos te ajudar??