ANGOLA TELECOM PÁRA TUDO AMANHÃ: TV ZIMBO, TPA E RNA NEGAM HAVER ORIENTAÇÃO DO MINISTRO MAS NÃO DÃO VOZ AOS GREVISTAS 

 ANGOLA TELECOM PÁRA TUDO AMANHÃ: TV ZIMBO, TPA E RNA NEGAM HAVER ORIENTAÇÃO DO MINISTRO MAS NÃO DÃO VOZ AOS GREVISTAS 

ANGOLA TELECOM PÁRA TUDO AMANHÃ: TV ZIMBO, TPA E RNA NEGAM HAVER ORIENTAÇÃO DO MINISTRO MAS NÃO DÃO VOZ AOS GREVISTAS 

Os trabalhadores da Angola Telecom prometem paralisar todos os serviços amanhã, terça-feira, 28, pelo facto de o Conselho de Administração não ter cumprido – e é rotulado de um CA que não transmite confiança aos trabalhadores – com a promessa saída da reunião dos dias 21 e 22 de Dezembro de 2021 em que o PCA Adílson Santos pediu 5 meses (até Maio deste ano) para cumprir as cláusulas do caderno reenvidicativo apresentado e aprovado superiormente.

Lourenço Afonso, o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Angola, Telecomunicações e afins, considera que “afinal se tratou de uma manobra dilatória do Conselho de Administração”. Acusam que os órgãos públicos de comunicação social têm orientação do ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social Manuel Homem para não cobrir essa greve. A TV ZIMBO, a TPA e a RNA negaram a acusação, mas não cobrem a greve de uma empresa que pode afectar o seu próprio serviço público e justificam ao Portal “A DENÚNCIA”.

O PAD contactou os principais responsáveis dos referidos órgãos de comunicação, com o objectivo de obter o contraditório e constatar a veracidade das acusações apresentadas pelos funcionários da Angola Telecom de uma suposta orientação passada pelo ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social Manuel Homem de não cobrir a greve que já decorre há quase uma semana.

Em forma de esclarecimento, o Presidente do Conselho de Administração da Televisão Pública de Angola Francisco Mendes realçou que desconhecia a existência da greve que decorre e que tomou contacto com a notícia apenas porque o Portal “A DENÚNCIA” noticiou. Adiantou, entretanto, não ter recebido nenhuma orientação do ministro para não se cobrir a greve, chegando mesmo a orientar que se contactasse os responsáveis dos conteúdos da TPA.

O Portal “A DENÚNCIA” tentou entrar em contacto com o administrador para conteúdos da TPA, Neto Júnior, sem sucesso.  Cabingano Manuel, o Director de Informação da TPA, chegou a garantir que nos contactaria mais tarde mas não o fez até ao final do dia de hoje.

No caso da TV Zimbo, contactámos o Coordenador para Conteúdos da Comissão de Gestão, Amílcar Xavier, que confirmou ter mantido contacto com alguns dos funcionários da Angola Telecom e solicitou que enviassem um documento com os nomes, identificação da Comissão Sindical ou de trabalhadores em causa, e as devidas assinaturas, porque acreditava que vezes sem conta alguns trabalhadores de várias empresas têm estado a apresentar denúncias falsas que chegam até mesmo a ser constatadas num dos programas daquele órgão (Fala Angola). Garantiu que a TV ZIMBO não recebeu nenhuma orientação para não cobrir a greve, porque, “na verdade, os grevistas em causa devem apenas organizar-se e especificar de que parte surge a greve para melhor informar”.

Da parte da Rádio Nacional de Angola (RNA) respondeu o Director de Informação António Kapapa que, com palavras minímas, fez saber que a não cobertura da referida greve se deve apenas à agenda técnica e prioridades daquilo que são os assuntos a abordar naquele órgão.

Questionado sobre se é ou não prioritário noticiar a greve de uma instituição que, por sinal, também presta serviços essenciais à RNA, o Director de Informação afirmou que “não é que a questão da greve seja um assunto que não tenha relevância, porque são questões de comunicação que podem ter uma interferência também na comunicação da RNA, e podemos ficar sem qualquer serviço”.

“É um aspecto que nós vamos acompanhar. É claro que é um assunto que realmente tem passado ao lado, mas não nos esquecemos de olhar para ele. A nível da Direcção de Informação da RNA, já estivemos a reflectir sobre esse assunto”, responde Kapapa.

Para melhor esclarecimento, o PAD contactou também o Presidente do Conselho de Administração da Angola Telecom, Adílson Santos, que se monstrou descontente com o posicionamento do Portal “A DENÚNCIA”, tendo chegado a dizer que a notícia do PAD é falsa e que existe uma acta que mostra um entendimento com a Comissão dos trabalhadores com uma arbitagem que foi feita pela Inspecção-geral do Trabalho. Pedimos que nos fizesse chegar a referida acta de entendimento. Alegou que não podia confiar no jornalista Carlos Alberto do Portal “A DENÚNCIA”.

Ouvimos, de igual modo, o secretário-geral do Sindicato dos Correios de Angola, Telecomunicações e afins, Lourenço Afonso, que se mostrou surpreendido com o posicionamento do PCA da Angola Telecom, chegando mesmo a desmentir as informações apresentadas pelo presidente Adílson Santos.

Lourenço Afonso afirma que a acta referida pelo PCA não foi subscrita nem mesmo pelos membros do Conselho de Administração “porque o conteúdo não mostrava o que aconteceu na reunião da passada sexta-feira. Nós pedimos para se rectificar, mas o Conselho de Administração não rectificou e por isso nós não assinámos. O incumprimento das negociações parte das reuniões que ocorreram no dia 21 e 22 de Dezembro de 2021. Pediram até Maio de 2022. Como não cumpriram, nós decretámos a greve. Foi isso que motivou a realização da actual greve, que é uma greve legal”, revela o sindicalista.

“E eles alegavam que estávamos a pressionar demais. E, segundo as duas actas de Dezembro do ano passado, as promessas pendentes seriam resolvidas em Maio de 2022. No dia 20 de Maio, a Administradora Inocência, da área das Finanças, chegou mesmo a dizer que nós estamos a pressionar e alegaram que o mês ainda não havia terminado e que era apenas ainda dia 20. Disseram-nos que devíamos aguardar mais 11 dias, que estávamos a pressionar demais e que devíamos aguardar para que fóssemos adicionados nos subsídios de alimentação e aumentos salariais. Chegámos a Junho e até ao momento isso não foi cumprido. O PCA está a dizer que está passar uma informação contrária e eu gostava de saber por que o PCA não teve a coragem de mencionar as actas dos dias 21 e 22 de Dezembro de 2021. Nestas actas, pediu-se, primeiro, o voto de confiança à Comissão Negociadora para que esperássemos a implementação até Maio de 2022. No entanto, esta greve surge pelo incumprimento das negociações acordadas inicialmente em Dezembro do ano passado”, frisou.

O Portal “A DENÚNCIA” noticou na passada sexta-feira, 25, no seu site de informação, que os trabalhadores da Angola Telecom iriam paralisar todos os serviços a partir de amanhã, terça-feira, 28.  Hoje, os trabalhadores voltam a confirmar que vão parar mesmo tudo amanhã.

Carlos Alberto

http://adenuncia.ao

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Não é possível copiar o conteúdo desta página
Iniciar conversa
Estamos online
Gostava de fazer uma denúncia de irregularidades e/ou crimes.